Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Boletim Acontece na FFLCH-USP nº 217

 

Palestra: "O que significa ser movido por uma obra de arte", com Winfried Menninghaus e Helmut Galle

 

O Instituto de Estudos Avançados promove no dia 20 de março, às 15h, a palestra "What does it mean to be moved by an artwork?".
 
Desde Horácio, Cícero e Quintiliano, retórica e poética determinam que mover (movere) a audiência é um dos objetivos primários das artes. 
 
A palestra apresenta os resultados de um projeto em andamento que visa estabelecer "ser movido" e "ser tocado" como conceitos de emoção genuínos, e revelar o seu papel na apreciação estética. Isso inclui uma nova perspectiva sobre a consagrada questão do prazer estético associado a emoções negativas.
 
 
Abertura: Helmut Galle 
 
Expositor: Winfried Menninghaus 
 
Em inglês, com tradução simultânea
 
QUI | 20.03 | das 15 às 18h00
 
Sala de Eventos do IEA. Rua Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5o andar, Cidade Universitária, São Paulo
 

 

 

 

 

Lançamento: "O Brasil como Destino: Raízes da imigração judaica contemporânea para São Paulo", de Eva Alterman Blay

 

O Centro da Cultura Judaica convida para o lançamento do livro O Brasil como Destino: Raízes da imigração judaica contemporânea para São Paulo, da Profa. Dra. Eva Alterman Blay (Departamento de Sociologia).
 
O lançamento será realizado na quinta-feira, 20 de fevereiro, às 20h. Haverá bate-papo sobre a obra com a autora, Eva Alterman Blay, e com o professor Moacir Amâncio (Departamento de Letras Orientais).
 
QUI | 20.02 | 20h00
 
Centro da Cultura Judaica (Cafeteria). Rua Oscar Freire, 2500, São Paulo
 
 
 
Os imigrantes judeus começaram a desembarcar no Brasil já no início do século 16, num movimento que prosseguiria até as primeiras décadas do século 20. A historiografia brasileira, porém, ignora sua existência: não há vestígios desses imigrantes nos livros escolares ou nos compêndios universitários. Nesta obra, a socióloga Eva Blay propõe-se resgatar essa longa trajetória. Ela reúne informações de pesquisa histórica e, de forma pouco usual, entrevistas com judeus que vivem no país.
 
O livro reproduz relatos de imigrantes provenientes de 17 países - a maioria da Europa Ocidental - e de diferentes classes sociais, questionando o estereótipo do judeu rico e bem sucedido. A autora reconstrói os cenários da imigração ao longo dos tempos. De onde vieram os judeus que escolheram o Brasil como destino? Como e onde viviam anteriormente? Por que vieram? Ela conta que nos primeiros tempos chegaram judeus expulsos de Portugal e Espanha no começo do século 16 e os que procuravam escapar da Inquisição. Ao longo dos séculos 18 e 19, desembarcaram os fugitivos dos pogroms, do serviço militar escravizante, da segregação. No século 20, viriam os fugitivos do nazismo.
 
No Brasil os imigrantes encontrariam situação incomparavelmente mais branda, segundo a autora, mas "cheia de armadilhas". Para escapar à perseguição, muitos entre os primeiros que chegaram tornaram-se cristãos novos. E os que vieram mais tarde foram vítimas de preconceito. Humberto de Campos dá o tom da recepção aos fugitivos de Hitler, na coletânea "Os judeus na Alemanha no momento atual", de 1933: "[...] poderão os judeus trazer para este lado do Atlântico a lei e o seu ouro. Nós possuímos, no céu e na terra lugar para o seu Deus e para o seu dinheiro. [...] só encontrarão irmãos, desde que, está bem visto, não venham aumentar o número dos vendedores de móveis à prestação
Editora Unesp
 
 
 

 

 

 

 

Curso: "A Recepção em Espinosa de Fontes da Filosofia Judaica Medieval e Renascentista", com Alexandre Leone

 

O Departamento de Filosofia e o Grupo de Estudos Espinosanos - Estudos sobre o século XVII, promovem de 13 de março a 05 de junho, às quintas-feiras, das 9h às 13h, o curso "A Recepção em Espinosa de Fontes da Filosofia Judaica Medieval e Renascentista".
 
O curso será ministrado por Alexandre Leone, doutor em língua e literatura hebraica pela FFLCH/USP, na sala 119 do Conjunto Didático de Filosofia e Ciências Sociais (Av. Prof. Luciano Gualberto, 315, Cidade Universitária, São Paulo).
 
Os interessados devem se inscrevem em http://filosofia.fflch.usp.br/node/1472
 
 
Mais informações pelo e-mail eventosdf@usp.br ou pelo telefone 11 3091 3761

 

 

 

 

Curso Teatro e Resistência: Dramaturgia dos Anos de Chumbo - Panorama Histórico 1968-1979 (Módulo III)

 

 
Promovido pelo Núcleo de Estudos de Teatro Décio de Almeida Prado, do Centro Ángel Rama, o curso "Teatro e Resistência: Dramaturgia dos Anos de Chumbo - Panorama Histórico 1968-1979 (Módulo III)" será ministrado pela Profa. Dra. Maria Sílvia Betti (Departamento de Letras Modernas), às segundas-feiras, a partir do dia 10 de março, das 18h30 às 21h, na FFLCH (em sala a ser divulgada oportunamente).
 
O curso é isento de taxas e as inscrições estarão abertas até o dia 7 de março, ou enquanto houver vagas. Os interessados devem enviar mensagem com nome completo para carama@usp.br 
 
(Observação: alunos que não cursaram os dois módulos anteriores também poderão matricular-se).
 
Início: 10/3/2014
 
Término: 30/6/2014
 
Público-alvo: alunos de graduação e pós, professores e alunos das redes públicas de ensino, membros da comunidade USP e interessados em geral.
 
Certificados de participação serão concedidos mediante a frequência mínima de 85% às aulas.
 
Objetivos: Introduzir, contextualizar e discutir as formas pelas quais a dramaturgia brasileira do período compreendido entre 1968 e 1979 representou as perspectivas de luta contra a ditadura militar.

 

 

 

 

Próximas Defesas:

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 

 


 

* A programação de eventos, defesas de mestrado e doutorado da FFLCH está disponível em http://fflch.usp.br/calendar/2014