Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Boletim Acontece na FFLCH-USP n. 273

 

Congresso Crossings: Brazil, Portugal and Greater China

 

Entre os dias 27 e 31 de julho de 2015 será realizado, numa parceria entre departamentos dos cursos de Letras da FFLCH/USP e universidades chinesas, o Congresso Crossings: Brazil, Portugal and Greater China.
A abertura será realizada no Auditório Mindlin e os demais dias ocorrerão na Casa de Cultura Japonesa, na USP. 
 
Informações detalhadas no site: www.crossingsbrazil.fflch.usp.br
 
 
 
 

 

Palestra: Discurso testemunhal, auratização e intermedialidade no campo da cultura de memória do Brasil, com Susana Vasconcelos-de-Melo (Delegação da Universidade de Tübingen)

 

O projeto sobre memória cultural desenvolvido pela Universidade de Tübingen visa investigar o processo de rememoração da ditadura militar no Brasil e compreender a constelação de atores e regras explícitas e tácitas que compõem o campo da cultura de memória, tomando-se por base o conceito de “campo” do sociólogo Pierre Bourdieu. A investigação tem como ponto de partida uma análise comparativa do tratamento dado ao discurso testemunhal em duas diferentes formas midiáticas, que além disso representam diferentes momentos e gerações no trabalho de memória dos anos de ditadura no Brasil, a saber, o documentário Que bom te ver viva (1989) de Lúcia Murat e a revista em quadrinhos Subversivos (1999) de André Diniz. O foco temático da investigação gira em torno da análise das estratégias discursivas adotadas nestas narrativas, como por exemplo, re-embodiment e multimodalidade discursiva, a fim de lidar com as questões centrais que permeiam o testemunho, tais como autenticidade, auratização e incomensurabilidade da experiência traumática. Em pauta está também o papel desempenhado pela mediatização do testemunho, que se presta a sensibilização e angariamento de solidariedade, na comodificação da memória, em que pese, além disso, os resultados da práxis discursiva em um contexto intermedial. O documentário que Que bom te ver viva é um pioneiro do gênero por tratar da militância feminina e da tortura sofrida por mulheres durante a ditadura. Tendo sido produzido nos anos 1980 sob os moldes do discurso feminista, o documentário de Murat quebra um tabu ao falar da tortura sexual, mas também transgride os limites do discurso testemunhal através da ficcionalização, da sua forma em parte performática, e da mise en scene grotesca. A revista em quadrinhos Subversivos No. 1 apresenta por sua vez uma intertextualidade explícita com o documentário de Murat. Além disso apresenta um aparato paratextual ao final do volume no qual constam obras que formam a memória cultural da militância durante a ditadura, dialogando assim com uma tradição de quadrinhos de temática histórica tais como Maus a survivor's tale (1989) de Art Spiegelman cujo tema gira em torno das memórias do pai judeu do autor, um sobrevivente dos campos de concentração nazistas. A transposição do discurso testemunhal presente em Quem bom te ver viva e também dos aspectos performáticos do documentário para um formato pop, em parte inspirado pela estética do mangá, coloca em discussão limites éticos e estéticos da representação da experiência do sobrevivente da tortura, mas também suscita um debate a despeito das estratégias de legitimação adotadas pelas vozes que fazem parte do campo da cultura de memória.

Coordenação: Prof. Dr. Jean Pierre Chauvin

 

TER | 28.07.2015 | 14h00

 

Escola de Comunicações e Artes - USP. Auditório Freitas Nobre (CJE). Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443 - Prédio 2
 

 

 


 

Simpósio Internacional: 70 anos de publicação de A Rosa do Povo, de Carlos Drummond de Andrade

 

 
Entre os dias 4 e 5 de agosto participe da segunda edição do evento "Simpósio Internacional: 70 anos de publicação de A Rosa do Povo, de Carlos Drummond de Andrade". O evento é uma parceria entre o Programa de Literatura Brasileira da Universidade de São Paulo e o Programa de Estudos Latino-Americanos da Universidade de Princeton em torno das relações entre "Poesia, Guerra e Cidadania".
 
A palestra de abertura será proferida pelo Professor Emérito Alfredo Bosi, com o título "Em torno de um poema de A Rosa do Povo". O evento é gratuito e será realizado no Auditório István Jancsó da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin. Não há necessidade de inscrição. 
 
O evento é organizado pelos professores Vagner Camilo (DLCV-FFLCH-USP) e Pedro Meira Monteiro (Plas-Princeton University). Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas (DLCV-FFLCH) e Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM-USP).
 
 
 
 

 

Palestras do GMHP (Grupo de Morfologia Histórica do Português) e do NEHiLP (Núcleo de Apoio à Pesquisa em Etimologia e História da Língua Portuguesa)

 
 
GMHP (Grupo de Morfologia Histórica do Português) e o NEHiLP (Núcleo de Apoio à Pesquisa em Etimologia e História da Língua Portuguesa), ambos  coordenados pelo Prof. Dr. Mário Eduardo Viaro, convidam para as palestras gratuitas e sem necessidade de inscrição prévia, que serão proferidas nos próximos dias 5 e 12 de agosto de 2015, no prédio de Letras da FFLCH-USP (Av. Prof. Luciano Gualberto, 403, Cidade Universitária, São Paulo).
 
 
PROGRAMAÇÃO: 5 DE AGOSTO – QUARTA-FEIRA, ÀS 13h – Sala 266 do prédio de Letras/FFLCH-USP
 
  
1ª Palestra: Renata Cazarini de Freitas (DLCV - FFLCH/USP)
"Léxico do furto e do roubo em documentos latinos (tabellae defixionum) e portugueses" 
 
2ª Palestra: Diogo Moraes Leite (DLCV - FFLCH/USP)
"Os verbos futuere e pedicare nos epigramas homoeróticos de Marcial" 
 
 
PROGRAMAÇÃO: 12 DE AGOSTO – QUARTA-FEIRA, ÀS 14h – Sala 266 do prédio de Letras/FFLCH-USP
 
Palestra internacional:
 
Profa. Dra. Maria Filomena Gonçalves(Universidade de Évora/Portugal)
"Corpus textual e história do léxico português: o caso do Dicionário Histórico do Português do Brasil" 
 
 

 

Palestra: Developing Creativity: lessons from cultural-historical theory

 

A Área de Estudos Linguísticos, Literários e Tradutológicos em Francês convida para a palestra Developing Creativity: lessons from cultural-historical theory, que será ministrada pelo Prof. Dr. Emmanouil Dafermakis (University of Crete - Department of Psychology), no dia 07 de agosto, às 14h, na sala 266 do Prédio de Letras.
 
Para se inscrever, basta enviar um e-mail com o nome completo para monitoriadofrances@gmail.com
 
SEX | 07.08.2015 | 14h00
 
Prédio de Letras (sala 266). Av. Prof. Luciano Gualberto, 403, Cidade Universitária, São Paulo
 
 
 
 

 

Simpósio Internacional de Língua Japonesa como Língua Global - EJHIB e III Encontro de Pós-Graduandos em Estudos Japoneses

 

 
A proposta do evento é oferecer um lócus de discussão local, regional, nacional e internacional para os estudos japoneses que abrangem diversas áreas voltadas ao estudos de língua, literatura, ensino-aprendizagem, tradução, história, arte e cultura com pessoas que atuam na área de ensino da língua japonesa e de outros saberes relacionados, neste ano em que se comemoram os 120 Anos do Tratado de Amizade entre Brasil e Japão e dos 100 Anos de Escola Japonesa no Brasil.
 
 
Inscrições pelo site: http://letrasorientais.fflch.usp.br/node/498 e http://ejhib2015.com entrando no MENU: VALORES E PRAZOS para recebimento de CERTIFICADO.
 
Contato: ejhibbrazil2015@gmail.com
 
 
 

 

Abertas inscrições de trabalhos para encontro de Semiótica na USP - XIV miniENAPOL

 

Estão abertas até 31 de agosto as inscrições para apresentar comunicação oral no XIV miniENAPOL de Semiótica, realizado pelo Grupo de Estudos Semióticos da USP. O evento será realizado de 29/9 a 2/10 no prédio de Letras da FFLCH/USP. Além das apresentações de trabalhos de alunos de pós-graduação e graduação e dos debates, o encontro também conta com conferências de renomados pesquisadores da área.
 
A sigla ENAPOL significa Encontro dos Alunos da Pós-Graduação em Semiótica e Linguística Geral, que é realizado a cada ano envolvendo todas as áreas da linguística. Durante os meses subsequentes, os diversos grupos de pesquisa, como o da Semiótica, promovem seu miniENAPOL. No encontro são expostas e discutidas as pesquisas em andamento dos pós-graduandos de Semiótica e áreas afins e também de alunos de graduação envolvidos em pesquisa na área.
 
Inscrições:
Sem apresentação de trabalho: gratuita
Com apresentação de trabalho: R$ 30,00 para alunos de pós-graduação e R$ 15,00 para alunos de graduação.
 
Mais informações no site http://semiotica.fflch.usp.br/node/356
 
 
 

 

Professora da FFLCH, em parceria com o Brasil em Mente, lançará seu livro sobre o PLH na Casa das Rosas

 
 
 
 
A editora Brasil em Mente tem a honra de anunciar que lançará uma de suas obras em São Paulo, na prestigiosa Casa Das Rosas. O livro Português como Língua de Herança: a filosofia do começo, meio e fim, lançado em maio em NY, foi escrito por 14 mulheres que desenvolvem diferentes trabalhos e pesquisas, dentre as quais a Profa Dra. Maria Célia Lima-Hernandes, que também organiza o volume, sintetizando o panorama desta língua-cultura ao redor do mundo em 300 páginas de excelente conteúdo. A publicação apresenta e discute um velho/novo conceito - o português como língua de herança. Velho porque a diáspora brasileira tem um histórico complexo, de longa data, com inúmeros cenários nos quais a língua portuguesa e a cultura brasileira fizeram e fazem parte, de alguma forma, da vida dos filhos e netos de imigrantes brasileiros. Novo porque recentemente as comunidades de língua portuguesa, especialmente a brasileira, têm se profissionalizado e participado de maneira cada vez mais influente nas discussões sobre as línguas de herança. É preciso agora conectar experiências passadas e experiências atuais a fim de celebrar e conscientizar pais e professores acerca desta especialidade linguística.
 
 
 

 

 

A programação de eventos, defesas de mestrado e doutorado da FFLCH pode ser vista em http://fflch.usp.br/calendar/2015

Acesse o Portal de Vídeos da FFLCH em nossa página http://comunicacao.fflch.usp.br/portaldevideos